Poder Arbitrário contra o Direito a Opinar

por Kenneth Wieske

A liberdade de expressão é um valor importantíssimo. Um artigo publicado aqui sobre o caso de Mayara Petruso, julgada por suas palavras preconceituosas sobre os nordestinos, sugere que até os cristãos hoje em dia estão caindo no erro de endeusar o governo; procurando no governo a solução para todos os males. O autor nos lembra de algo crucial: não se pode legislar a moralidade.

Quando queremos o governo agindo como pai, mãe, professor, babá, patrão, e não sei o que mais, acabamos com um governo que se acha deus. A consequência: a sociedade não funciona mais e a liberdade deixa de existir. O governo controla tudo: até os nossos pensamentos e palavras.

Olhe para além da asneira e ódio de Mayara Petruso. É preciso avaliar biblicamente se a solução para tratar esta estupidez dela é o processo criminal. Da prisão de Mayara por falar estupidez e ódio contra nordestinos, é um pequeno passo para a prisão de cristãos que falam dos púlpitos contra pecados condenados por Deus na bíblia. Um pequeno passo para a perseguição da igreja.

A igreja deve acordar, pois tem bebido muito dos pensamentos da nossa época, que atribuem ao governo a responsabilidade para resolver todo problema, em todo momento e em toda esfera da vida. A igreja muitas vezes tem sido parte do problema, ao tentar cooptar o governo, ignorando que a centralização de poder é anticristã.

Anúncios

Um pensamento sobre “Poder Arbitrário contra o Direito a Opinar

  1. Olá, pastor Kenneth Wieske!

    Toda lei não é alguma moral sendo legislada? A criminalização do homicídio (incluindo o aborto) não é o sexto mandamento sendo legislado? A criminalização do roubo não é o oitavo mandamento sendo legislado? Há pouco tempo foi postado aqui sobre a questão da educação domiciliar. A maneira com que isto é legislado não está diretamente ligado ao quinto mandamento (e a maneira com que o quinto mandamento é aplicado em Deuteronômio 6, por exemplo)?

Os comentários estão desativados.